Author: admin

Catarata: Sintomas, causas e tratamento

A catarata consiste na opacidade total ou parcial do cristalino, lente natural do globo ocular, que é responsável pela focalização da visão para perto e para longe. É a diminuição progressiva da visão, podendo ser congênita ou adquirida.

O principal sintoma é uma visão embaçada, como se a pessoa estivesse olhando por um vidro opaco. Pessoas que têm catarata tem a visão nublada, e essa visão nublada pode tornar difíceis tarefas simples como ler, dirigir um carro ou interpretar a expressão das pessoas.

A maior parte das cataratas se desenvolve lentamente e não perturba a visão desde seu início, mas com o passar do tempo, começa a interferir na visão.

No início, uma iluminação de ambiente mais forte e o uso de óculos ajuda a lidar com os sintomas, mas logo passa a prejudicar atividades normais do dia a dia e começa a se fazer necessário um tratamento cirúrgico. A boa notícia é que a cirurgia de catarata costuma ser um procedimento seguro e eficaz.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a catarata é responsável por mais de 50% dos casos de cegueira no mundo e atinge quase metade (46,2%) da população mundial com mais de 65 anos.

Estima-se que no mundo cerca de 160 milhões de pessoas tenham esta doença, considerada a maior causa de cegueira evitável. No Brasil são 2 milhões e surgem cerca de 120 mil novos casos ao ano. E como a expectativa de vida da população mundial está aumentando, o número de pessoas com catarata tende a crescer.

Sintomas da catarata

Os sintomas mais frequentes da catarata são: diminuição da acuidade visual, sensação de visão “nublada ou enevoada”, sensibilidade maior à luz, alteração da visão de cores e mudança frequente da refração.

Nem todas as cataratas prejudicam a visão ou afetam a vida diária. Para aquelas que causam prejuízos, os sintomas comuns incluem:

  • Visão nublada, confusa ou nebulosa
  • Visão com brilho de lâmpadas ou do sol
  • Dificuldade de dirigir à noite devido ao brilho dos faróis
  • Mudanças frequentes na prescrição de óculos
  • Visão dupla
  • Melhoria da visão de perto que, em seguida, fica pior
  • Dificuldade em fazer as atividades diárias por causa de problemas de visão.

 

Causas

A catarata ocorre quando a lente dentro do olho torna-se turva, e fatos que colaboram para esta condição são:

  • Envelhecimento (catarata relacionada à idade)
  • Superexposição à radiação ultravioleta (UV), como da luz solar, cabines de bronzeamento ou solários
  • Lesão ocular
  • Diabetes, especialmente quando os níveis de açúcar no sangue estão acima da faixa de segurança. A doença descontrolada provoca alterações no olho que podem resultar em catarata
  • Doença no interior do olho, tais como o glaucoma, retinite pigmentosa ou descolamento da retina
  • Vitrectomia (remoção do gel vítreo do olho) em pessoas com mais de 50 anos de idade
  • Raios-X frequentes ou tratamentos de focados na cabeça
  • Histórico familiar. Uma pessoa pode herdar a tendência para desenvolver a catarata
  • Uso prolongado de medicamentos esteroides

 

Tipos

Catarata relacionada à idade: Também chamada de catarata senil, essa forma da doença ocorre por causa do envelhecimento. Tipo de catarata mais comum, ocorre em geral com o processo de envelhecimento, surgindo mais frequentemente após os 55 anos de idade.

Cataratas nucleares: Se formam no centro da lente, tornando o núcleo do olho turvo ou opaco. O centro do olho pode ficar com uma coloração amarela ou castanha. Catarata cortical aparece na forma de cunha e em volta das extremidades do núcleo. Catarata subcapsular posterior se formar mais rapidamente do que os outros dois tipos, e afeta a parte de trás da lente.

Catarata congênita: Ocorre por doenças da mãe durante a gravidez, que atingem o feto. Com frequência é acompanhada de outras alterações. Está presente no nascimento ou se forma durante os primeiros ano de um bebê. Esse tipo é menos comum do que catarata relacionada à idade. Esse tipo de catarata nem sempre apresenta sintomas e pode ser removida se ela interfere com a visão do bebê. A catarata congênita pode se desenvolver se a mãe tiver uma infecção ou abusa de substância como drogas, álcool e tabaco durante a gravidez.

Catarata secundária: Essas são causadas por doenças ou medicamentos. As doenças que estão associadas ao desenvolvimento de cataratas incluem glaucoma e diabetes. O uso de medicamentos esteróides pode levar à catarata.

Catarata traumática: Ocorre após acidentes que danificam os olhos. Geralmente é unilateral. Se desenvolvem após uma lesão no olho, embora possa levar vários anos após o evento para que isso aconteça.

Catarata Diabética: Geralmente, tem início precoce e provoca perda visual mais rápida do que a catarata senil.

Catarata Decorrente de medicamentos: Principalmente os corticóides, quando usados por longos períodos.

Catarata tem cura? Sim! Felizmente, catarata tem cura.

Tratamento da catarata

O tratamento curativo da catarata é o cirúrgico e consiste em substituir o cristalino opaco por prótese denominada de lente intra-ocular (LIO).

Toda vez que a qualidade de vida do portador de catarata esteja comprometida, ou seja, que existam limitações nas atividades que realiza habitualmente, a cirurgia está indicada. A evolução da catarata geralmente é bilateral com certa assimetria, daí a importância da realização da cirurgia do segundo olho para recuperação integral do sistema visual.

Cirurgia

Resumidamente, a cirurgia de catarata é realizada sob anestesia local (absolutamente indolor) sem a necessidade de internação hospitalar. Para a recuperação visual do portador de catarata, se faz necessária a retirada do cristalino opaco e o implante de uma lente intra-ocular. A qualidade de visão com a lente intra-ocular é muito superior àquela com óculos ou lentes de contato. Por isto, o implante da lente intra-ocular é feito de rotina atualmente.

Importante: Todas as informações contidas nesta página têm caráter informativo e educacional. Nenhuma providência deverá ser tomada sem consultar o seu oftalmologista, pois somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.

Benefícios do Ômega 3 para sua visão

Os olhos não mentem jamais e alguns alimentos são tão essenciais aos nossos olhos que é preciso estar constantemente atento ao consumo deles e incluí-los em nossa dieta.

Mas hoje vamos falar do ômega 3, que é um ácido graxo essencial para diversas funções do nosso organismo, principalmente para nossa visão. O ômega 3 facilita a nutrição das células que protegem os olhos, evitando que doenças se desenvolvam facilmente no globo ocular, e tem também papel importante na prevenção da degeneração macular.

Uma dieta que priorize vegetais de folhas verdes, nozes e peixes, alimentos ricos em ômega 3, ajudam a diminuir o risco da degeneração macular, que é uma das causas de perda de visão em pessoas com mais de 60 anos.

Estas informações são baseadas em um estudo recentemente publicado pela revista JAMA Ophthalmology. Foi a primeira vez que pesquisas comprovaram a relação entre certos nutrientes da nossa dieta com o risco de uma pessoa desenvolver ou não a degeneração macular.

Pessoas com degeneração macular perdem a visão central do olho e os fatores de risco incluem o envelhecimento natural, o tabagismo, o histórico familiar e a obesidade. E embora a doença tenha um forte influência genética, um crescente número de pesquisas, como esta, vem alertando que comportamentos saudáveis podem reduzir o risco de aparecimento e desenvolvimento da doença.

A alimentação correta está diretamente ligada a fatores imprescindíveis à visão

Ainda segundo o estudo, nutrientes relacionados com menor risco de degeneração macular são as vitaminas C e E, o zinco, a luteína, a zeaxantina e o ácido graxo ômega 3. E o papel protetor dos pescados aparece exatamente associado ao ômega 3 presente neles, com um efeito protetor sobre a retina.

Ingerir ômega 3 é importante para preservar os pequenos vasos que irrigam os olhos e ainda protege a retina contra inflamações, mas não são apenas os pescados que precisam entrar em nossa dieta, as nozes também foram identificadas como protetoras da nossa visão.

Prefira os alimentos ricos em vitaminas A e E, como a cenoura, e com ômega 3, como a linhaça. Alimentos de origem animal trazem a principais vitaminas necessárias para a boa visão, como: fígado de peixe, óleo de fígado de bacalhau, fígado bovino, carnes, ovos, leite integral e seus produtos gordurosos, como creme de leite e a tradicional manteiga.

Peixes – Fontes de ácidos graxos, ômega 3 e das vitaminas A, B, D e E, peixes como sardinha, bacalhau, salmão e atum são ótimos estimulantes da boa circulação sanguínea. Com a ingestão desses alimentos, a retina receberá oxigênio, essencial para a saúde dos olhos.

Frutas, legumes e verduras – Os de pigmentação amarela e verde costumam ser fontes ricas de carotenoides, substâncias que previnem a deterioração da mácula, ponto responsável por nos permitir enxergar cores. Podem ser encontrados em alimentos como laranja, maçã, cenoura, tangerina, brócolis e couve.

Óleo de linhaça – Para combater o chamado “olho seco” este óleo é uma grande arma, pois é rico em vitamina E, ácidos graxos, ômega 3, ômega 6 e ômega 9.

Azeite virgem – Rico em ômega 3, o azeite virgem é considerado um grande aliado na prevenção contra a degeneração macular, lesão que pode levar à perda irreversível da visão.

Alho e cebola – São ricos e fontes de cálcio, fósforo e vitaminas B e C. Possuem ação contra micróbios e antiviral. Agem como dilatadores dos vasos sanguíneos, diminuindo a pressão arterial e prevenindo contra o glaucoma, uma vez que a pressão intraocular é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença.

Amoras e cerejas – Assim como o morango, a framboesa e outras frutas vermelhas e roxas são exemplos de alimentos antioxidantes, que combatem os radicais livres e são fontes de vitamina C e de flavonoides. Previnem contra a perda de visão e contra a degeneração macular.

Celulite, como evitar?

Por ser uma tendência pessoal, característica das mulheres, a celulite não pode ser totalmente evitada. Mas algumas dicas podem ajudar a evitar o seu agravamento e melhorar o seu aspecto:

  • Como a obesidade está relacionada com uma piora da celulite, evite estar acima do seu peso ideal.
  • Dietas milagrosas não existem, o mais importante é fazer uma reeducação alimentar, mudando os hábitos que levam ao aumento do peso.
  • O sedentarismo não ajuda em nada. Para queimar calorias e evitar o acúmulo de gorduras, você precisa de atividade física, principalmente atividades aeróbicas. Escolha o exercício que você gostar mais. Caminhar ao ar livre, pedalar, ginástica, natação… Um deles vai se encaixar no seu ritmo de vida.
  • Cuide também do emocional. O stress leva a um desequilíbrio de todo o organismo, diminuindo sua vontade de se exercitar e, muitas vezes, a alimentação é utilizada como uma forma de compensar a ansiedade. Procure ter lazer e aumentar o seu contato com a natureza, atividade que sempre renova nossas energias.
  • Não fume! O cigarro dificulta a circulação do sangue, aumentando a retenção de toxinas e dificultando a oxigenação dos tecidos.
  • Evite roupas muito apertadas.
  • Beba bastante água (2 a 3 litros por dia). Isto estimula a função renal e a eliminação de toxinas.
  • Cuidado com o sal, que aumenta a retenção de líquidos no organismo.

Conheça os sintomas de catarata

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 46% da população mundial com mais de 65 anos sofre de catarata. Isso totaliza cerca de 160 milhões de pessoas que tenham a doença, que é considerada a maior causa de cegueira evitável. No Brasil, o número é de 2 milhões, com 120 mil novos casos surgindo ano após ano.

Com este cenário e a importância do diagnóstico precoce bem nítida, é válido relembrar os sinais e sintomas da catarata. Afinal, o quanto antes a doença for diagnosticada e tratada, menores são as sequelas para a saúde ocular.

Sintomas de catarata

É importante muita atenção ao surgimento dos seguinte sintomas: diminuição da acuidade visual, visão turva, fotofobia (sensibilidade maior à luz), alteração da visão de cores e mudança frequente da refração. Ao perceber qualquer um destes sintomas, é imprescindível consultar o quanto antes um oftalmologista.

Ao diagnosticar e tratar a doença cedo, é possível curá-la completamente. Portanto, muita atenção aos sintomas de catarata. Caso a doença seja diagnosticada apenas em um de seus estágios mais avançados, não é possível evitar a cegueira.

Saiba como se prevenir

Assim como é o caso com outras doenças oculares graves, é possível desenvolver alguns hábitos que minimizam as chances de desenvolvimento de catarata. Confira a seguir o que fazer para se prevenir contra a catarata:

  • Evite o consumo em excesso de sal, tabaco e álcool
  • Pratique exercícios físicos
  • Controle o nível de glicose no sangue
  • Inclua frutas e vegetais ricos em vitamina A, C e E em sua dieta

Assim como ocorre em diversas outras doenças oculares, o diagnóstico da catarata ainda em seu início é vital para a preservação da visão. Faça um acompanhamento médico com um oftalmologista e realize consultas regulares de, no mínimo, uma vez ao ano.

Aprenda a determinar qual será a cor dos olhos dos seus filhos

Qual a cor dos seus olhos? E dos seus pais? Será que a cor dos seus olhos e de sua família influenciam a cor dos olhos de seus filhos? A resposta para esta pergunta é: sim, e isto pode ser até previsto com certo grau de precisão. Isso porque a genética e a hereditariedade de certos traços únicos das pessoas são processos calculáveis levando em conta os genes dominantes e recessivos. Acompanhe com a gente como funciona essa relação entre genética e a cor dos olhos e descubra qual será a cor dos olhos dos seus filhos.

Quem se lembra das aulas de genética em Biologia na escola vai saber o que significam genes recessivos e dominantes, além de como se relacionam as cores dos olhos com as probabilidades. Ser dominante significa um gene sobressair-se sobre o outro, que perde forças neste embate e se torna inativo. Ou seja, se o gene de olhos castanhos é dominante e o de olhos verdes é recessivo, as chances de uma descendência de olhos verdes é menor.

Quando se classifica as cores de olhos, é importante desmistificar alguns conceitos: as cores dos nossos olhos não são sempre bem definidas. Existem vários níveis e tons diferentes que podem produzir cores inéditas, como azul violeta, mel e outros. Os genes destas misturas se sobressaírem ainda não estão devidamente classificadas como recessivos ou dominantes. Portanto, para fins de cálculos, deixe os seus conceitos de cores mais abrangentes, por mais que isso gere uma margem de erro maior no final.

Monte a árvore genealógica da sua família e anote as cores dos olhos de cada um dos seus membros. A partir da sua união com outra pessoa, é possível calcular a probabilidade dos seus filhos herdarem a sua cor de olhos ou do resto da família.

Você conhece seu histórico familiar?

Conhecer o histórico médico da família é essencial para se cuidar bem da saúde. E isso vale também para o cuidado com os olhos. Afinal, algumas doenças oculares se desenvolvem com mais facilidade se existem casos anteriores dela na família. Só que mesmo que você tenha herdado uma pré-disposição a alguma doença ocular, não significa que as chances de cura são difíceis: os efeitos podem ser revertidos se a doença for tratada cedo.
Um exemplo de doença que ganha mais chances de ser desenvolvida pela hereditariedade é o glaucoma. De acordo com a Glaucoma Research Foundation, se alguém da sua família teve a doença, você se torna até 9 vezes mais propenso a desenvolvê-la também. Outra doença facilitada pela hereditariedade é a degeneração macular.

O que fazer?

O seu oftalmologista deve sempre levar o seu histórico familiar em consideração durante as suas consultas regulares. Se existe algum caso de glaucoma na sua família, por exemplo, o profissional médico deverá ter atenção especial a exames de pressão ocular com o objetivo de monitorar qualquer indício de surgimento da doença. O histórico familiar é mais uma informação que o oftalmologista utiliza para cuidar melhor da sua saúde ocular.
Para isso, você precisa ter um bom diálogo com a sua família e descobrir estes problemas o quanto antes. Em muitos casos, parentes podem não ser tão abertos em relação a discutir doenças com a família, então é preciso assertividade e uma boa postura de diálogo. Assim que obtiver esta informação, você deve avisar imediatamente o seu oftalmologista.
Este é mais um caso em que fica nítida a importância de realizar consultas regulares ao oftalmologista. É somente através de um monitoramento constante que doenças oculares graves como o glaucoma podem ser detectadas cedo e ter seus efeitos completamente revertidos.

Crianças e tecnologia: conheça os riscos para a saúde ocular

A cena se tornou rotina em diversos lugares: as crianças andando para lá e para cá com smartphones e tablets, imersas em vídeos e jogos de todos os tipos. Por mais possibilidades de aprendizado que estes aparelhos tragam, os pais precisam ficar atentos aos riscos da longa exposição a eles. A saúde ocular das crianças pode sofrer ao passar muito tempo diante de tantas telas.

Segundo uma pesquisa da American Optometric Association, 66% das crianças possui o próprio smartphone ou tablet. No entanto, os pequenos possuem mais riscos de desenvolver problemas oculares. Esta combinação pode ser bem danosa para a saúde dos olhos.

Quando usamos estes aparelhos, a tendência é que pisquemos menos. Isso pode gerar problemas como olho seco, além de diminuir a imunidade dos olhos para uma série de doenças.

Não existe idade para começar a cuidar da saúde dos olhos. Leve seus filhos para consultas oftalmológicas regulares para manter a saúde em dia, sempre. Marque a consulta conosco através do site.

Você sabia que os seus cílios duram apenas 5 meses?

Por isso, é normal que os seus cílios caiam, já que isso faz parte do processo de renovação dos pelos. Não existe um número exato por dia e os cílios crescem como todos os folículos do corpo. Assim como os cabelos, os cílios têm 3 fases de vida: anágena (crescimento), catágena (transição) e telógena (descanso e queda). A cada 5 meses, em média, o pelo cai e nasce um outro no lugar.

Você só deve se preocupar quando a queda leva a falhas ou a falta total de cílios, que pode ocorrer por alergia a maquiagem ou até por doenças mais graves.

Nesses casos, procure um especialista.

Videogames ajudam a tratar quem sofre de ‘olho preguiçoso’

Frequentemente apontados como vilões para a saúde dos olhos, os videogames também possuem um papel positivo neste âmbito, conforme foram revelando estudos da área. Os jogos eletrônicos podem, sim, impactar negativamente a sua visão se não forem aproveitados com pausas para descanso. No entanto, foi descoberto que o videogame é um poderoso aliado no tratamento ambliopia, também conhecida como “olho preguiçoso”.O estudo foi divulgado pela Universidade da Califórnia. Ele mostrou que a visão dos pacientes estudados, que sofrem de ambliopia, acabou melhorando consideravelmente após serem expostos a jogos de videogame. Uma partida de 40 minutos foi o suficiente para melhorar a percepção de profundidade em 3D e a nitidez da visão.

Apesar disso, nada substitui o tratamento oftalmológico necessário em todos os casos de doenças oculares.

Dieta do brasileiro médio é prejudicial à visão; saiba como melhorá-la

De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Instituto Penido Burnier, 98% dos brasileiros não consomem a quantidade recomendada de vitaminas em suas refeições. Para manter a saúde ocular, é preciso consumir uma quantidade boa de vitaminas D e E, e o déficit na ingestão destes nutrientes pode causar degeneração da retina e outros problemas.Quer ter certeza de que a sua dieta está em sintonia com a sua saúde ocular? Basta incluir sempre estes alimentos no seu dia-a-dia:

  • ovos
  • peixe
  • leite
  • frutas secas
  • vegetais de folhas verde-escuras
  • trigo
  • cereais integrais