Verão e praia: existe combinação mais perfeita?

Verão e praia: existe combinação mais perfeita?

Claro que não! Mas é preciso tomar alguns cuidados com a areia para evitar contaminações que podem causar doenças

Estamos em pleno verão, estação que é um convite explícito para passear e viajar. Em um país como o Brasil, com belíssimas praias, a opção mais desejada é aproveitar os momentos livres com os pés deliciosamente descalços na areia, mas cuidado: ela pode estar contaminada, oferecendo riscos de doenças à pele e ao organismo.

Para não transformar a sua temporada de lazer em uma baita dor de cabeça, é preciso conhecer as doenças e os cuidados preventivos necessários. Fique atento!

BICHO GEOGRÁFICO

É um parasita que penetra na pele e caminha dentro dela, provocando lesões que, ao longo do seu trajeto, parecem um mapa, dando origem ao nome popular.

• Sintomas: coceira, vermelhidão e bolhas na área próxima ao local de penetração.
• Tratamento: por meio de medicação oral e pomadas.
• Prevenção: evitar que animais circulem pelas praias e também de sentar diretamente na areia, em locais onde há animais.

MICOSES

São infecções de pele causadas por fungos que podem aparecer frequentemente nos pés (frieiras), em áreas de dobras, como virilha e abaixo das mamas e unhas, ou até mesmo em outras regiões. Entre os fungos causadores de micose, o mais frequente é o Microsporun Canis, transmitido por cães e gatos. O calor e a umidade predispõem o surgimento de micose.

• Sinais e sintomas: lesões avermelhadas, de bordas elevadas e com descamação. Pode haver coceira.
• Tratamento: em geral, é feito com pomadas; de acordo com a intensidade, também pode ser prescrita medicação oral.
• Prevenção: evitar locais onde há circulação de animais e evitar a umidade da pele. Depois do banho, secar bem a pele, até com a ajuda de secador de cabelo na temperatura morno. Evitar a repetição de calçados e preferir meias de algodão.

PITIRÍASE VERSICOLOR (PANO BRANCO)

Conhecida como micose de praia, ela ocorre, em geral, no tronco ou face, e é caracterizada por manchas que podem ser esbranquiçadas ou acastanhadas.
Em geral, é assintomática (sem sintomas) e, eventualmente, pode provocar coceira. O fungo causador faz parte da microbiota da pele, mas o calor e a umidade predispõem o aparecimento das lesões, portanto, ela é relacionada à praia.

• Tratamento: geralmente, feito com o uso de antifúngicos.
• Prevenção: evitar calor e ficar com a pele úmida.

Fotoproteção adequada

Impossível falar de praia e deixar de lado o primeiro mandamento para a boa saúde na temporada de calor e praia: o uso correto de filtros solares, com fator maior ou igual a 30, para a proteção contra os raios UVA e UVB, que provocam, principalmente, o câncer de pele.

Vale lembrar que o uso do filtro solar deve ser diário e em todas as áreas expostas do corpo,até mesmo em dias nublados.